Make your own free website on Tripod.com
POEMAS


Malefício

Rinaldo Brandão
Nova Serrana / MG
Brasil
rinaldo@ns2004.com.br


A bem da verdade
Talvez seja tarde pra amar alguém
Um pouco tarde demais
Pra procurar a paz em um colo amante
Em alguém que plante em mim
O amor que eu já não cria mais
Um amor que apague toda essa intensa saudade
Da vida que eu nunca vivi
Que retome tudo que eu perdi
E abrigue em si com lealdade
Como uma gurarida
E esteja em mim toda minha vida
Como um vício
E enterre meu passado no fundo
De algum oco profundo do mundo
Tal qual um precipício.
A bem da verdade
A minha alma arde a falta de alguém
Arde uma dor tenaz
Sufocante, obstante fugaz
Dói constante
Porém um instante depois
Já não existe mais
Apenas queima
Como queima a saudade do amor que eu nunca tive
Mas que em meu peito vive
Como que em eternidade
Como uma vingança adormecida
Que espera toda a vida
Pra aplicar o seu suplício
No profundo da alma humana
Como uma prece profana
Como um malefício.